A Comunicação Não-Violenta (CNV) em contextos educacionais durante a pandemia: uma abordagem mais do que necessária

A Comunicação Não-Violenta (CNV) é uma abordagem que surgiu da necessidade de um olhar sensibilizado para a segregação racial nos Estados Unidos, nos anos 60, pelo Psicólogo Marshall Rosenberg (em outro post escreverei com mais detalhes sobre este assunto). A CNV proporciona profundidade mútua na relação dos envolvidos num determinado contexto, na possibilidade plena de expressão e compreensão. Na escola, é possível, colocar a CNV em ação e aproximar professores e alunos, sem julgamentos moralizadores ou comparações.

Os protagonistas da Educação, os Professores, sabem que a rotina pedagógica de uma instituição escolar é permeada por desafios, tanto no âmbito da ausência, como no manuseio inadequado, a respeito: do acompanhamento familiar à vida escolar dos estudantes, do acesso ao professor às ferramentas tecnológicas ou materiais escolares, da prática de metodologias ativas de ensino, entre outras. Nos tempos atuais, a pandemia enfatizou uma necessidade ainda mais urgente para a escola: a comunicação, seja ela escrita, verbalizada, síncrona ou assíncrona. Um refinamento da capacidade que ela, a escola, já tem sobre como participa ou torna comum o saber erudito.

Não é necessário que todos os envolvidos em uma situação tenham pleno conhecimento sobre a CNV. Na escola, se o professor assimilar o processo da CNV como uma abordagem de comunicação metodológica, ou seja, com o domínio de seus princípios, conseguirá, ainda que leve algum tempo, cultivar novos enfoques para os relacionamentos.

Para saber mais:

ROSENBERG, Marshall B. Comunicação não-violenta: técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais. São Paulo: Ágora, 2006

Sobre Walkiria Roque

Carreira desenvolvida na área de Gestão Educacional. Profissional com mais de 20 anos de atuação na liderança e gerenciamento de ensino. Vivência em diversos níveis de ensino, atuando como docente, diretora, coordenadora e supervisora, conduzindo atividades administrativas e pedagógicas. Ampla experiência na liderança e formação de coordenadores e gestores educacionais, desenvolvendo e capacitando o corpo docente, promovendo modelos de aprendizado acolhedores e auxiliando instituições a alcançar excelência educacional.
Esse post foi publicado em CNV Comunicação Não-Violenta e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para A Comunicação Não-Violenta (CNV) em contextos educacionais durante a pandemia: uma abordagem mais do que necessária

  1. railda.cs@gmail.com disse:

    Obrigada minha eterna professora por me enviar esse canal. Um dia abençoado para você.

  2. ÁGATA APARECIDA DOURADO disse:

    Vizinha e Colega… Ótimo assunto para se tratar neste momento e sempre necessário para nós. Gratidão por compartilhar e farei o mesmo, merecemos o SABER.

  3. Carolina disse:

    Muito bom compartilhar saberes com vc Wal. Grande beijo!

Deixe uma resposta para ÁGATA APARECIDA DOURADO Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s